Dallagnol, a Lava Jato e a face oculta da Justiça

Conversas reveladas mostram que ninguém está seguro

Por Marco Aurélio de Carvalho e Lenio Streck

As revelações do site The Intercept e desta Folha desvelam uma espécie de lado obscuro da Justiça brasileira, algo como “The Dark Side of the Justice”. Dizemos Justiça porque as relações conjumínicas entre o ex-juiz Sérgio Moro e o Ministério Público Federal dão a abrangência do fenômeno. (mais…)

Valores civilizatórios e a ignomínia oficial

“A maior inflação nacional é a estupidez”. A frase, atribuída ao crítico literário Alceu Amoroso Lima, ilustra o vasto repertório dos “obtusos de plantão” pelo país afora. Palavras malditas e atos infelizes sempre inspiraram os cronistas. Um deles, Sérgio Porto, em 1966, publicou “Festival de Besteira que Assola o País”. Era o primeiro de uma série de três livros do cronista que assinava textos sob a rubrica Stanislaw Ponte Preta. (mais…)

Grupo Prerrogativas manifesta indignação sobre decisão de transferência de Lula

Para a entidade, a transferência afeta a honra do presidente e coloca em risco sua segurança física.

Nesta quarta-feira, 7, o Grupo Prerrogativas se manifestou contra a transferência de Lula de Curitiba para São Paulo. Para a entidade, a transferência afeta a honra do presidente e coloca em risco sua segurança física. (mais…)

De como Moro e Dallagnol fizeram muitas coisas com… palavras!

Por Lenio Luiz Streck e Marco Aurélio de Carvalho

John Langshaw Austin escreveu um belíssimo livro chamado How to Do Things with Words (Como Fazer Coisas com Palavras) (1). Dizer é fazer, sustenta Austin. Pois, de fato, é facilmente perceptível que, de tanto que dialogaram, Moro e Dallagnol fizeram muitas coisas com palavras. Falas, atos e fatos… processuais. Sigam-nos. (mais…)

É preciso falar sobre isso… Um apelo ao Supremo Tribunal Federal

Marco Aurélio de Carvalho e Pedro Carriello

A presunção de inocência precisa ressurgir, pois,de forma majoritária no Supremo Tribunal Federal, com todas as vênias. O tema é central e precisa ser enfrentado de forma urgente, tanto nas decisões monocráticas, de órgão fracionário, como pela força singular do plenário. Está escrito na Constituição. A interpretação é literal e não deixa margem a dúvidas de qualquer natureza. (mais…)